quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

FIGURAS DE LINGUAGEM



Olá !!! Dentro do Projeto de Leituras de Vestibular e Enem, vamos ver hoje nesse post sobre FIGURAS DE LINGUAGEM. Lembra o que são e para que servem ?!

Todos os dias estamos lendo diversos livros e escutando músicas, mas as vezes nem sabemos que estamos tendo contato com elas. São conhecidas também como figuras de estilo ou figuras de retórica. São estratégias utilizadas nos textos para conseguir um determinado efeito de interpretação ao leitor. Podem ser classificadas em figuras semânticas ou de construção das palavras. Vamos ver as principais :


VEJA EM VIDEO



ALITERAÇÃO
É a repetição de sons consonantais idênticos ou semelhantes em palavras 
de uma frase ou de versos para criar sonoridade. 

Exemplo: 

Cidadezinha qualquer 
(Autor: Carlos Drummond de Andrade)

"Casas entre bananeiras
mulheres entre laranjeiras
pomar amor cantar.
Um homem vai devagar.
Um cachorro vai devagar.
Um burro vai devagar.
Devagar ... as janelas olham.
Eta vida besta, meu Deus."

ANTÍTESE
É a aproximação de ideias contrárias.

Exemplo:
"Nasce o Sol, e não dura mais que um dia; Depois da Luz se segue à noite escura; Em tristes sombras morre a formosura, Em contínuas tristezas e alegrias." 
(Gregório de Matos - Poema Barroco)

CATACRESE
É a utilização de uma palavra ou expressão que não descreve com exatidão o que se quer expressar, mas é adotada por não haver uma outra palavra apropriada; é uma gíria do cotidiano, expressão usada para facilitar a comunicação.

Exemplo: O pé da mesa está quebrado. 
(Não há um nome específico para pé de mesa)

COMPARAÇÃO
É usada para demonstrar qualidades ou ações de elementos usando dois mais elementos.
Exemplo: "O amor queima como fogo" 

DISFEMISMO
Ou cacofemismo, consiste em empregar termos ou expressões depreciativas, sarcásticas, para fazer referência a um determinado tema, coisa ou pessoa. Expressões disfêmicas são frequentemente usadas para criar situações de humor.
Exemplo: Tirar água do joelho (fazer xixi), bater as botas (morrer).

EUFEMISMO
Emprega termos mais agradáveis para suavizar uma expressão ou para substituir palavras consideradas impróprias de acordo com algum tabu, ou mesmo para omitir nomes de divindades.
Exemplo: Ele entregou a alma a Deus (em vez de dizer: morreu)

HIPÉRBOLE
Incide quando há exagero propositado em um conceito para definir algo de forma dramática, transmitindo uma ideia aumentada do autêntico.
Exemplo: Já te avisei mais de mil vezes!!!

IRONIA
É uma forma de expressão literária ou uma figura de retórica que consiste em dizer o contrário daquilo que se pensa, deixando entender uma distância entre aquilo que dizemos e que realmente pensamos. Exemplo: Ele é um santo, já traiu a mulher mais de dez vezes.

METÁFORA
Produz sentidos figurados por meio de comparações implícitas. Ela pode dar um duplo sentido à frase.
Exemplo: Amor é fogo que arde sem se ver.
—Luís de Camões

METONÍMIA
Consiste no emprego de uma palavra fora do seu contexto semântico normal, dada a sua contiguidade (e não a similaridade) material ou conceitual com outra palavra. Trata-se de uma substituição lógica de um termo por outro, mantendo-se todavia uma proximidade entre o sentido de um termo e o sentido do termo que o substitui.
Exemplo: Adoro ler Jose de Alencar (substitui autor pelas obras)

ONOMATOPEIA
 Reproduz um som com um fonema ou palavra. A forma adjetiva é onomatopaico. Ruídos, gritos, canto de pássaros, som de animal, sons da natureza, barulho de máquinas, o timbre da voz humana fazem parte do universo das onomatopeias. 
Exemplo: toc toc (bater na porta), hahahaha (risos)

PARADOXO
Faz relações contrárias a um sujeito qualquer ou é uma associação de termos contraditórios, que se referem a uma ideia. 
Exemplo: Eu sou um velho moço.

PERSONIFICAÇÃO
Consiste em atribuir a objetos inanimados ou seres irracionais,sentimentos ou ações próprias dos seres humanos.
Exemplo: A cadeira começou a gritar com a mesa

POLISSÍNDETO
É o emprego repetitivo da conjunção entre as orações de um período ou entre os termos de oração e geralmente é a conjunção "e", "nem" ou "mas".
Exemplo: 
"E sob as ondas ritmadas
E sob as nuvens e os ventos
E sob as pontes e sob o sarcasmo

E sob a gosma e sob o vomito"
(Euclides da Cunha)

SINESTESIA
É a relação de planos sensoriais diferentes: Por exemplo, o gosto com o cheiro, ou a visão com o tato.
Exemplo: 
“E um doce vento, que se erguera, punha nas folhas alagadas 
e lustrosas um frêmito alegre e doce.” (Eça De Queiros)

Sobre Lorena Caribé

Olá! Meu nome é Lorena. Estarei compartilhando nesse blog comentários e indicações de leituras. Continuem visitando para novas atualizações!!! E-MAIL: aventuraliteraria@hotmail.com

POSTAGENS RELACIONADAS

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Achei super interessante este post.
    As figuras de estilo não são complicadas mas como são tantas por vezes uma pessoa baralha-se.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  2. Nos dias de hoje, onde os jovens acabam "desaprendendo" a escrever. Essas dicas ajudam bastante.

    ResponderExcluir
  3. Boa iniciativa!
    Costumo reparar durante uma leitura nos tipos de figura de linguagem que os autores utilizam. haha

    ResponderExcluir
  4. Não posso dar apenas parabéns, pois o post está excelente em conteúdo e qualidade. Vou salvar o link para meu filho.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. OIe,
    Lembro quando estava no ensino médio e também quando estava terminando a faculdade de letras. Esse foi um dos assuntos que mais estudei na época da universidade. E, acho importantíssimo trabalhar esse tipo de conteúdo porque os livros se baseiam nas figuras de linguagem.
    Boa postagem.

    ResponderExcluir
  6. Muuuito legal seu post! Adorei. Muito útil para quem está estudando para o Enem e para quem tem dúvidas, seu post ficou ótimo. Lembro que lá no nono ano meu assunto favorito era Figuras de Linguagem, mas focando mais em Metáfora.
    Beijos!

    ResponderExcluir

INSTAGRAM