terça-feira, 8 de dezembro de 2015

O DIÁRIO DE ANNE FRANK | EDITORA RECORD | RESENHA


Título: O diário de Anne Frank | Autora: Anne Frank
Editora: Record | Ano: 2014 | Páginas: 416
Nota: ✮✮✮✮✮

Fazer uma análise do livro O Diário de Anne Frank é me transportar a uma realidade cruel da nossa história mundial durante a 2º Guerra Mundial, mas ao mesmo tempo é conhecer o cotidiano de uma menina tão inteligente e consciente de sua própria realidade quanto filha de judeus e o sofrimento que tiveram que passar.

SINOPSE
Nova edição com capa dura de um dos livros mais importantes do século XX. O depoimento da pequena Anne Frank, morta pelos nazistas após passar anos escondida no sótão de uma casa em Amsterdã, ainda hoje emociona leitores no mundo inteiro. Seu diário narra os sentimentos, os medos e as pequenas alegrias de uma menina judia que, como sua família, lutou em vão para sobreviver ao Holocauto. Lançado em 1947, O diário de Anne Frank tornou-se um dos livros mais lidos do mundo. O relato tocante e impressionante das atrocidades e dos horrores cometidos contra os judeus faz deste livro um precioso documento e uma das obras mais importantes do século XX.

Anne Frank relata nas páginas de seu diário, que o define de Kitty (sua melhor amiga), seus sonhos, suas aventuras, apresenta sua família, amigos de escola, pretendentes e sua gatinha, Moortje, seu cotidiano. Para ela, era no seu diário quem ela poderia confiar totalmente e ter uma relação que ela não conseguia encontrar com mais ninguém, nem mesmo com sua mãe ou irmã que tinham brigas constantes. A pessoa que ela se sentia mais próxima era seu pai.

Em algumas passagens ela descreve a condição do judeu naquele período, a perda dos seus direitos até serem obrigados a irem parar em campos de concentração, retrata o medo constante de serem pegos, as dificuldade de se viverem escondidos.

 "Depois de maio de 1940, os bons momentos foram poucos e muito espaços: primeiro veio a guerra, depois veio a capitulação, em seguida a chegada dos alemães, e foi então que começaram os sofrimentos dos judeus. Nossa liberdade foi gravemente restringida com uma série de decretos antissemitas: os judeus deveriam usar uma estrela amarela; os judeus eram proibidos de andar nos bondes (...) Você não podia fazer isso ou aquilo , mas a vida continuava. Jacque sempre me dizia: "Eu não ouso fazer mais nada, porque tenho medo de ser algo proibido."."(pág. 18)


A vida continuava mas não era nada fácil. Não tinham nenhum conforto. tinham que fazer sempre silêncio para não serem ouvidos por estranhos. Os únicos amigos que sabiam  ajudavam comprando mantimentos e roupas. Existiam regras que deveriam ser seguidas exemplificadas no Prospecto e guia que Anne descreve nas págs. 76 à 78 do livro.

Anne também conta as noticias que chegavam sobre o destino dos Judeus...

"Hoje só tenho notícias tristes e deprimentes. Nossos muitos amigos e conhecidos judeus estão sendo levados aos montes. A Gestapo está tratando todos eles muito mal e transportando-os em vagões de gado para Westerbork, o grande campo em Drenthe, para onde estão mandando todos os judeus." (pág.64)

Mas mesmo em meio a tantas adversidades, ela ainda conseguia encontrar momentos de descontração, fazendo piadas como:

"O que faz clic 99 vezes e clac uma vez?Uma centopeia com uma perna de pau." (pág. 60)

E em alguns momentos se sentia no paraíso comparado ao que estava acontecendo com outros judeus e tinha esperança de que sairiam dali. "Quando penso em nossas vidas aqui, geralmente chego à conclusão de que vivemos num paraíso, comparado aos judeus que não estão escondidos." (pág. 110)

Pouco a pouco Anne vai escrevendo os acontecimento da guerra, o avanço e recuo, vitórias e derrotas, os ataques, o medo do anexo ser bombardeados pelas bombas e canhões que são ouvidos. 



O que também fica marcante é a mudança de humor de Anne por estar tanto tempo presa, os conflitos principalmente com a mãe, o sentimento de culpa e ao mesmo tempo tentando agir de forma verdadeira com seus próprios sentimentos, e a dualidade sem saber se seria uma menina com qualidades boas ou mãs já que sempre os pais estavam enaltecendo e condenando seu comportamento. As últimas folhas de se diário é tratando exatamente assim,

"Tenho medo que as pessoas que me conhecem descubram que tenho outro lado, um lado melhor e mais bonito. Tenho medo de zombarem de mim, de pensarem que sou ridícula e sentimental, e de não me levarem a sério. (...) Como já disse, o que falo não é o que sinto, e por isso tenho reputação de assanhada e namoradeira, de sabichona e leitora de romances de amor. A Anne jovial gargalha, dá uma resposta ferina, encolhe os ombros e finge que nem liga. A Anne quieta reage do modo oposto. Se estou sendo completamente honesta, tenho de admitir que isso me importa, que tento arduamente mudar, mas me vejo sempre diante de um inimigo mais poderoso." (págs. 344-345) 


Um livro que com certeza vale muito a pena ser lido e compartilhado !!!
Essa versão é incrível !!!

Livro disponível nas principais lojas virtuais:



Annelies Marie Frank nasceu em 12 de Junho de 1929 em Frankfurt (Alemanha), filha de pais judeus Otto e Edith Frank, e irmã de Margot Frank. Mudou-se com sua família ainda bem pequena para Amsterdã (Holanda) depois que o partido Nazista vence as eleições e cresce o movimento antissemita ma região.

Em maio de 1940, a Alemanha invade os Países Baixos e o governo de ocupação começa a perseguir os judeus através da aplicação de leis restritivas e discriminatórias, como o registro obrigatório e posterior segregação. Com a introdução de um decreto que determinava que crianças judias poderiam se matricular apenas em escolas judaicas, as irmãs Frank tiveram que se matricular no Liceu Judaico. 

No seu 13º aniversário, Anne ganhou de presente um livro que ela tinha mostrado a seu pai em uma vitrine alguns dias antes, um livro de autógrafos, com uma estampa xadrez em vermelho e verde e com um pequeno cadeado na frente.

Em julho de 1942, Margot Frank recebeu uma carta com um aviso para que ela fosse para um dos Campos de concentração nazistas. Seu pai que já tinha planos de se esconder em uma espécie de anexo secreto atrás de sua empresa, na rua Prinsengracht, o forçou que tomasse logo essa decisão. Eram ajudados por amigos a se manterem nesse local, eles sabiam que se fossem pego a pena seria de morte por abrigarem judeus. A família van Pels se juntou aos Frank no confinamento. Peter e Anne aos poucos começaram a se entender e até começaram um romance, seu primeiro beijo foi com ele.

Na manhã de 4 de agosto de 1944, o anexo secreto foi invadido pela Polícia de Segurança Alemã (Grüne Polizei) em consequência da denúncia de um informante que jamais foi identificado. Foram transferidos para a Huis van Bewaring (Casa de Detenção), depois transportados para Westerbork.. Por serem presos em um esconderijo, eles eram considerados criminosos e foram enviadas para o Quartel de Punição para trabalhos braçais. Depois ainda foram transferidas paraAuschwitz e mais tarde Belgen-Belsen. Anne morreu de tipo em 1945, também sua irmã e sua mãe depois de sofrerem de fome, doenças e maus tratos.

Em 1945 o diário de Anne foi entregue a seu pai que sobreviveu a guerra. A princípio ele relutou em publicar já que no próprio texto Anne deixava claro que nunca gostaria de ninguém lesse. Se decidiu a publicar pela importância que esse ato teria em divulgar o que ocorreu, mas antes fez algumas alterações tentando resguardar a identidade das pessoas. O diário de Anne foi publicado em diversos países, também sendo adaptada para peça de teatro.  Somente em 2001 começaram a publicar a versão definitiva na íntegra.



CURIOSIDADES  

✾ O diário de Anne Frank foi publicado pela primeira vez em 1947
✾ O diário chegou a ser considerado falso até provarem sua autenticação através de provas.
✾ Existi 2 versões do diário, a partir de 2001 foi publicado a versão na íntegra.
✾ Existem várias versões do livro para o cinema, em alguns deles: O diário de Anne frank (1959), O diário de Anne Frank (2001), Minha querida Anne Frank (2009).
✾ O Anexo Secreto onde ficaram escondido tornou-se um museu aberto a visitação.


SITES
Site sobre Anne Frank (em inglês)

Site sobre Anne Frank Fundação
http://annefrank.ch/

REPORTAGENS

Relato da amiga Nanette Konig sobrevivendo 


RESENHA EM VIDEO

Em desenho animado - https://www.youtube.com/watch?v=yLSvdEUA2wI

FILMES
O Diário de Anne Frank (2001/legendado)
https://www.youtube.com/watch?v=8skcEbuKJD8

Minha Querida Anne Frank (2009/dublado) 
https://www.youtube.com/watch?v=ofszJ1VastY

Sobre Lorena Caribé

Olá! Meu nome é Lorena. Estarei compartilhando nesse blog comentários e indicações de leituras. Continuem visitando para novas atualizações!!! E-MAIL: aventuraliteraria@hotmail.com

POSTAGENS RELACIONADAS

Comente com o Facebook:

15 comentários:

  1. Esse foi um dos livros que me fizeram chorar. Imaginar todo sofrimento dessa família, é muito triste e ao mesmo tempo necessário para pensarmos o quanto uma guerra é terrível. É incrível como a Anne vai se descobrindo em meio a tanta destruição e dor. Um livro muito bom e todos necessitam ler.
    Essa edição é maravilhosa! Beijos do Wes ^^

    ResponderExcluir
  2. Oiii Lorena tudo bem?
    Eu tenho tanta vontade de ler esse livro que você nem imagina, mas queria essa edição mesmo que é ilustrada e a mais linda, lindas fotos também querida.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Eu visitei o anexo que a Anne Frank ficou escondida em Amsterdam e ver o local onde ela morou tanto tempo, dividindo um espaço minúsculo com tantas pessoas, te deixa com lágrimas nos olhos o tempo todo. É emocionante.
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
  4. Essa edição é maravilhosa, li a algum tempo e confesso que preciso fazer a releitura desse livro, ele é extremamente emocionante e forte em muitos aspectos, nunca vou me esquecer!

    ResponderExcluir
  5. Hey, Lorena!

    Eu sou completamente fascinada por livros que tratam sobre a guerra e Anne Frank é um dos meus favoritos da vida! Já li duas vezes e sinto que já está na hora de ler uma terceira vez.
    Me corta o coração vendo aquela menina tentar viver uma vida comum de adolescente com a morte em seu encalço. Lindíssima a história dela, eu recomendo a todo mundo!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Aí que lindinho. Eu ainda não li esse livro mas morro de curiosidade. A história deve ser muito interessante como vc resalta. E eu fiquei doida para ler. Parabéns pela bela resenha.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Olá, ainda não tive a chance de lê-lo, mas esta na minha lista de livros que preciso ler *-* Sem duvida deve ser um livro tocante com uma historia forte.

    ResponderExcluir
  8. Olá! Parabéns pela resenha. O Diário de Anne Frank já é um clássico, conta uma história através dos olhos de uma menina, eu considero uma história forte. Pretendo ler um dia. Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Eu ganhei esse livro (Em outra edição) no meu aniversário de 18 anos e até iniciei a leitura, porém, como não tinha o hábito de ler acabei abandonando, hoje já com 22 anos, coloquei ele na lista de leitura para esse ano e espero lê-lo. Anne Frank é uma heroína <3 Amei a resenha! P.S.: Essa edição é PERFEITA! Beijos

    ResponderExcluir
  10. Parabéns pelo post, cada detalhe pensado com muito carinho. Sobre o livro, tenho bastante curiosidade em lê-lo, mas preciso me preparar pois sei que será uma leitura intensa...

    bjs
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem?
    Gostei muito desta edição do Diário de Anne Frank, este livro me marcou muito quando eu li.
    Gostei muito da sua resenha!
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir
  12. Oieee! Esse livro minha irmã leu e me contou tudo, então fiquei com dificuldade de ler.Sei que é uma história real, mas preciso esquecer para poder ler esse livro!

    ResponderExcluir
  13. Oi. Tenho essa edição do livro e ainda não fiz a resenha por falta de tempo, amo essa história e uso em sala de aula com frequência. ‘O que também fica marcante é a mudança de humor de Anne por estar tanto tempo presa’ concordo com você.

    ResponderExcluir
  14. Oi!!
    Essa edição é linda demais e eu tenho muita vontade de comprar ela.
    Uma leitura com certeza marcante, por ser fatos reais, preciso ler logo ele.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  15. Oie
    essa edição está simplesmente maravilhosa. Eu já li o livro mas foi numa edição de bolso bem simples, senti até vontade de reler depois dessa resenha e dessa amostra da edição tão linda

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

INSTAGRAM