quinta-feira, 6 de julho de 2017

AS DEZ TORRES DE SANGUE | AUTOR: CARLOS ORSI | RESENHA


Título: As dez torres de sangue | Autora: Carlos Orsi
Editora: Draco | Ano: 2012 | Páginas: 96
Nota: ★★★★★


Olá! Compartilho com vocês a indicação da leitura do livro "As Dez Torres de sangue" que recebi em parceria com a Editora Draco. Desde que vi a capa e a sinopse, já me chamaram atenção. Gosto bastante desse estilo de livro, da temática, e de verdade me surpreendeu. Acredito que vocês também ficarão encantados, especialmente para curte essa temática.

SINOPSE
Nas profundezas do Saara fica Antares, o Olho do Escorpião, a Cidade das Dez Torres, para onde foram exilados os sultões da primeira raça humana criada por Alá, homens primordiais de grande estatura e crueldade que desafiaram seu Criador e que estão na raiz das lendas que mantêm os bravos beduínos do deserto acordados e com medo à noite. Para Antares se dirigem Suleiman Ibn Batil e sua refém, a nobre Dona Teresa. Ele tem dívida de sangue que só pode ser paga com a destruição total da fortaleza maligna. Ela apenas deseja escapar - do deserto, de Suleiman, dos desígnios da própria família.


É um livro curtinho que dá pra ler em pouco tempo, na verdade eu consegui ler em uma única noite e não larguei até ver o resultado. O autor vai nos levando pela narrativa, prendendo nossa atenção até o desfecho da história de Suleiman e Teresa. Tenho lido alguns livros e visto filmes que fala sobre o mundo árabe, sou fascinada, achei essa história em especial diferente, divertida e interessante.

“Os árabes dizem que, antes de criar os homens, Alá deu o mundo a um grupo de sultões inumanos, muito mais sábios que qualquer pessoa da nossa espécie jamais poderia pensar em ser. Mas esses ‘sultões que precederam Adão’ de que fala o mito teriam utilizado a sabedoria para criar pecados e iniquidades tais que clamavam aos céus por vingança. Enojado, o Criador decidiu banir os sultões de sua presença. Para onde? Segundo alguns contadores de histórias, para a cidade das Torres de Sangue. ”


Ibn Batil é um homem sem pátria, sem nada que lhe dê identidade. Teve sua vida antiga “tirada” dele. Ele busca vingança depois de ter sua família e vida destruídas pelos portugueses conquistadores, assim ele arma um plano. 

Enquanto que, Teresa é a irmã bastarda de D. Manuel. Está em uma viagem repleta de tragédias para Goa, onde encontrará seu noivo. Depois de ver seu irmão degolado em sua frente por um desconhecido, é obrigada a seguir viagem pelo deserto. Eles terminam se unindo em um propósito forte e sobrenatural que poderá mudar um dos segredos mais bem enterrados da África: A temida cidade de Antares, ou a cidade das Torres de Sangue. Onde o perigo é iminente. Dentro da torre, escorpiões gigantes, sultões feiticeiros, estátuas vivas entre outras criaturas malignas os aguardam.


Tudo é apresentado de uma forma bem direta. A narrativa é em terceira pessoa e não existem divisões em capítulos. Temos algumas separações em subseções ao longo da história apenas. Podemos perceber duas partes: um trecho que trata da vingança de Ibn Batil e outro que mostra a entrada dele e de Teresa em Antares. Como o livro é pequeno, essa falta de montagem em capítulos só reforça o fato de o autor ter optado por uma novela ao invés de um romance.

É interessante o fato do autor apresentar a cultura muçulmana no processo. O espírito de colaboração, a mudança de nome. Foi ainda mais curioso dele ter aproveitado esse espaço para fazer uma conexão entre cristianismo, judaísmo e islamismo, servindo de base para a montagem da mitologia daquele lugar.  O clima de terror criado, foi próprio da história, os cenários, as descrições ficaram muito boas, me lembrou muito as cenas de games modernos. 

As Dez Torres de Sangue é uma narrativa rápida, envolvente e cheia de ação. Com personagens interessantes e um cenário de tirar o fôlego. Tem uma ambientação aterrorizante e deixa muito espaço para novas histórias. O leitor não sente dificuldade alguma durante a leitura e as páginas passam facilmente. Com certeza, um livro que eu recomendo.



SOBRE O AUTOR


Carlos Orsi é jornalista especializado em cobertura de temas científicos e escritor. Já publicou os volumes de contos Medo, Mistério e Morte (1996) e Tempos de Fúria (2005). Seus trabalhos de ficção aparecem em antologias, revistas e fanzines no Brasil e no exterior.


Livro disponível nas principais lojas virtuais :
AMAZON | CULTURA | SARAIVA | SUBMARINO





ME SIGAM NAS REDES SOCIAIS






Sobre Lorena Caribé

Olá! Meu nome é Lorena. Estarei compartilhando nesse blog comentários e indicações de leituras. Continuem visitando para novas atualizações!!! E-MAIL: aventuraliteraria@hotmail.com

POSTAGENS RELACIONADAS

Comente com o Facebook:

10 comentários:

  1. Achei muito legal o autor mostrar a cultural muçulmana, uma cultura pouco explorar e muito interessante.
    E a história bem original também, foge do eixo de histórias ou nos EUA ou na Europa.
    E o livro é curto, fiquei bem surpresa do autor consegui escrever uma história tão interessante em poucas páginas.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  2. Olá! A Draco tem ótimos títulos! Achei a premissa do livro muito boa, legal encontrar uma história que traga outro tipo de cultura para conhecermos. Parece ser um livro bastante interessante e que prende o leitor, beijos!

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Gente que capa LINDA mesmo. É o primeiro chamativo com toda a certeza. E a temática, que amo e me interessa, é com certeza um prato cheio para mim. Esse fato dele também apresentar a cultura embutida na história, conta muitos pontos a favor porque sempre me interesso. Dica mega anotada e ótima resenha!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. aaaah, fiquei curiosa. tbm curto histórias ambientadas no oriente...e por ele ser tão curto vale a leitura numa hora relaxante do dia...realmente, essa capa está um primor...:D
    sugestão anotada, flor...
    bjs ^^

    ResponderExcluir
  5. Olá Lorena, tudo bem?

    Eu lembro que não gostava de Aladim, As mil e uma noites, justamente por ser ambientado no oriente. Não sei, mas a cultura de lá não chama lá muito a minha atenção. Vou deixar aqui anotado, mas vai demorar até dar uma chance.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Eu gosto bastante da editora Draco, eles sempre têm livros com enredos diferentes e a arte de capa deles é bem bonita. Fora isso, esse livro total me chamou atenção! Adoro histórias que envolvem culturas diferentes da nossa, e a árabe é tão linda e rica! Já quero ler!

    ;*

    ResponderExcluir
  7. OI!!


    Eu gosto da cultura árabe, mesmo não dominando muito, entretanto nunca li nenhum livro dessa editora. Talvez, esse seja o momento. Enfim, vou procurar o livro para poder adquirir e muito obrigada pela dica. Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oie
    que interessante o livro, está com uma edição bem bonita e parece ser interessante apesar de não ser o que procuro no momento, mesmo assim, boa dica

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá tudo bem?
    Tenho notado que histórias do Oriente Médio tem ganhado uma grande repercusão por aqui e eu acho isso maravilhoso! É muito legal termos uma diversidade cultural e conhecer outros costumes também, só por isso eu já leria o livro. Adorei a edição também e a história parece ser muito boa, já anotei a dica!

    beijinhos!

    ResponderExcluir
  10. Olá Lorena!
    Este livro me deixou bastante curiosa. É uma cultura que eu conheço pouco mas me encanta, e a sua descrição conseguiu me convencer a colocá-lo na minha lista de desejos!

    Abraços!
    momentodeficcao.wordpress.com

    ResponderExcluir

INSTAGRAM